Neurociências e Neuropsicologia : campos de interdisciplinaridade

Atualmente muitas questões exigem um tratamento interdisciplinar, os profissionais têm percebido a necessidade de trabalhar em equipe com outros especialistas para melhor tratar algumas questões. Essa “atitude” é responsável pelo avanço do conhecimento humano, pois é a soma de saberes –que antes eram específicos – que tem permitido encontrar soluções para as questões complexas que enfrentamos na nossa sociedade.

As neurociências e a neuropsicologia se enquadram nesse movimento de unir saberes para se conhecer melhor um objeto. No caso, as neurociências envolvem todos os tipos de conhecimentos que ajudem a entender o sistema nervoso. Apesar de ser mais facilmente associada com os ramos da biologia, química e medicina, isso devido aos aspectos moleculares, celulares, estruturais, evolutivos e funcionais; as neurociências têm ampla interlocução com as ciências, podendo tanto englobar quanto colaborar com os mais diversos campos, como por exemplo: psicologia e outras áreas da saúde, educação, ciências da computação, física, linguística, engenharias, etc. Sendo assim, uma pessoa de qualquer área que se dedique a estudar o sistema nervoso cientificamente pode se tornar um neurocientista.

 

Neuropsicologia

A neuropsicologia é um ramo mais específico das neurociências e seu propósito é compreender como o funcionamento do sistema nervoso central, que engloba outras estruturas além do cérebro, pode interferir na cognição (conjunto do que acontece na atividade mental) e no comportamento humano. A neuropsicologia teve em sua origem um enfoque no estudo na relação entre as lesões e disfunções do sistema nervoso com os prejuízos nas capacidades cognitivas e comportamentais dos pacientes. Porém, atualmente ela engloba também as características saudáveis e que podem potencializar ou aprimorar essas funções.

A neuropsicologia é indicada para tratamento (rehabilitação) e/ou avaliação de comprometimento cognitivo e/ou comportamental nos seguintes casos:

  • Quadros ou suspeita de problemas de ordem neurológica como, por exemplo, acidente vascular cerebral; Alzheimer e outras demências; síndromes do desenvolvimento humano como autismo e retardo mental.
  • Quadros ou suspeita de problemas psiquiátrica tais como esquizofrenia; transtornos de humor como a depressão; e às vezes para avaliar efeitos secundários da medicação e evolução do tratamento.
  • Quadros ou suspeitas de transtornos do desenvolvimento e da aprendizagem como, por exemplo, o transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, dislexia, discalculia; etc.
  • Em quadros de dependência química ou qualquer outra circunstância de uso de substância psicoativa que possa causar prejuízos no funcionamento do sistema nervoso.

Selecionados para você:

Nathalia Santos da Costa Vieira
Psicóloga e Neuropsicóloga na

Psicóloga | CRP é 04/28.003

Psicóloga e mestre em Neurociências pela UFMG, pós-graduada em Neuropsicologia pela FUMEC. Experiência clínica em Atendimento Psicoterapêutico, Avaliação Neuropsicológica e Orientação Profissional e de Carreira. Experiência em docência em cursos de graduação, pós-graduação de psicologia e psicopedagogia e capacitações em instituições de ensino. Psicóloga na Secretaria de Desenvolvimento Social da Prefeitura de Nova Lima.

Contatos: (31) 99903-6225 | nathalia@dialogopsi.com.br