Realizar seus  sonhos    Tempo de leitura ~2 min~

Os sonhos que ficam pelo caminho

Você tem algum sonho que ficou para trás? Aquele desejo que você acreditou ser impossível e deixou para lá?  Você já se perguntou inúmeras vezes por que esqueceu desse sonho?

Você já quis ser médico(a), professor(a), filósofo(a), astronauta? Ou quis morar no Nordeste, fazer um mochilão pela Europa, mudar para a Índia? Desejou aprender outra língua? Desejou casar, ter 5 filhos, melhorar a educação do país, mudar o mundo… mas ao invés disso, continua no mesmo lugar com a sensação de que não construiu nenhuma coisa interessante e de que não conseguiu realizar nada do que sempre desejou?

Você deve ter sido uma criança sonhadora e criativa, mas não sabe muito bem como essas características foram se perdendo no meio do caminho e sendo substituídas pela sensação de que nunca conseguiu nada do que quis. Geralmente sente que toda vez que ousou sonhar, ouviu frases como “sonhar não enche a barriga”, “tem que fazer coisas que te tragam dinheiro”, “a vida é assim mesmo”, “você tem que arranjar um bom emprego”, “você tem que engolir sapo”. E os sonhos foram ficando pelo caminho…

A expressão natural de si mesmo

O homem é um ser social e desde pequenos estamos envolvidos em diferentes redes de relações (família, escola, comunidade). E é na relação com o outro que temos uma base para o desenvolvimento cognitivo, para a definição do entendimento de certo e errado e para a adequação ao convívio social.

Observando essas questões, nossa sociedade propõe alguns padrões de convivência com o intuito de facilitar as relações e nos fazer compreender qual é o nosso limite e qual é o limite do outro. Em contrapartida, também coloca alguns padrões que limitam a expressão natural das pessoas e suas personalidade, fazendo com que, muitas vezes,  o seu melhor lado esteja suprimido e não tenha espaço para se expressar.

A maioria das pessoas faz um grande esforço para se adaptar ao padrão e às expectativas externas. Na maioria das vezes essas expectativas não contemplam quem realmente você é nem o que quer de verdade, causando um medo paralisante de fazer diferente do que está estabelecido. Esse medo acaba gerando crenças que inibem as suas ações e lhe transformam em uma pessoa submissa às circunstâncias e aos desejos dos outros, ocasionando um ‘desalinhamento’ dos seus valores e um desconhecimento de si mesmo(a).

Mas, e essa necessidade de mudança?

Você tentou se encaixar, mas tem sentido uma inquietação grande dentro de si… De alguma forma aquilo que deixou para trás deu um jeitinho de ressurgir e fazer barulho aí dentro. Como se fosse um “chamado”, causando frenesi e necessidade de mudança.

Desistir dos sonhos é uma escolha que tem como consequência a frustração. Reconectar-se com eles,  após tanto tempo de desalinhamento, é algo bastante trabalhoso e permeado por muita ansiedade.  Em contrapartida, por mais árduo que pareça batalhar por um sonho, a sensação de orgulho, plenitude e gratidão que essa conquista promove compensa todo o esforço.

Uma das formas de trabalhar a ansiedade e minimizá-la é estruturar e planejar qualquer mudança necessária para o alcance do seu sonho. Abaixo darei 3 dicas que podem ajudar nesse planejamento e lhe aproximar da concretização dos seus objetivos:

 

  1. Descubra exatamente o que você quer.

O primeiro passo para essa concretização é você se conscientizar de como você quer estar daqui dois, cinco e dez anos.

Projete-se para o futuro e pergunte a si mesmo(a): Qual é o estilo de vida que eu quero? Quais pessoas quero que façam parte da minha vida? Que tipo de pessoa quero me tornar? Que coisas quero ter? Quais atividades quero realizar?

Quanto mais detalhado for esse futuro, será mais fácil saber o que você precisará efetivamente empreender para alcançar seu objetivo.

 

  1. Transforme o seu sonho em meta:

Defina qual dos seus sonhos combina mais com quem você é hoje, com o que você deseja para o seu futuro e com os recursos que você tem disponíveis neste momento da sua vida.

Com o sonho escolhido, estabeleça um prazo realístico para a sua conclusão.

Quanto mais específico este prazo for, mais seu cérebro conseguirá compreender o seu objetivo como uma prioridade para você.

Atente-se para que este prazo seja humanamente possível de ser cumprido. Pense na rotina que você vive hoje e no tempo que você tem disponível para dedicar-se à sua meta.

 

  1. Crie um plano de ação

Liste detalhadamente todas as ações que você precisará empreender para realizar o seu objetivo dentro do prazo estipulado.

Estabeleça data para a conclusão e celebre cada ação realizada. A celebração nos ajuda a enxergar a importância de cada pequena conquista (micro) para o alcance do objetivo completo (macro).

Analise quais recursos você precisará para conseguir cumprir o plano de ação. Esses recursos podem ser tanto internos, como desenvolver habilidades, ou externos, como a ajuda de algum especialista.

Revisite o plano de ação regularmente para verificar o que já foi feito e o que ainda falta.

 

A realização do seu objetivo vai exigir dedicação, comprometimento, motivação e atitude da sua parte.

Eu sei que agir em direção ao seu sonho pode dar um pouco de medo. Mas, se você arquiteta-lo com cuidado, as suas chances de obter resultados positivos são grandes. Então, cabe aqui aquela famosa frase: “se der medo, vá com medo mesmo”.

Caso você esteja seguindo essas dicas e, mesmo assim, percebe-se encontrando dificuldades para conseguir operacionalizar as ações. necessárias ao alcance do seu objetivo, busque um processo de Coaching. O Coach é o profissional especialista ideal para lhe ajudar a planejar e executar as atividades,. assim como alavancar a sua performance em direção à realização do seu sonho.

 

Selecionados para você:

Andressa Aurichio Crema
Psicóloga e Coach de carreira | 11.97633-7386 | andressa.cremaa@gmail.com |

Graduada em Psicologia pela PUCSP. Coach plena formada pela metodologia Exponential Minds e Practitioner em Programação Neurolinguística (PNL) pela Inside You. Realiza processos de Coaching focados na Restauração da Autoestima e Gestão Emocional.